28 de dez de 2010

Termina 2010 e o CED não define seu nome

Mais um ano está se encerrando!

No seu início, com o fechamento, que não se deu, do Planejamento Estratégico, havia a esperança de que a discussão e decisão sobre o nome do CED = Centro de Ciências da Educação e da Informação levaria a um final de ano com outro elán, com mais cordialidade, com uma renovada postura diante da sociedade brasileira.

Ledo engano!

Até quando as coisas irão acontecer desse modo = dando-se tempo ao tempo!
Até quando teremos essa forma peculiar de conduzir os destinos e as esperanças de tanta gente?

17 de out de 2010

Arquivologia, Biblioteconomia e Ciência da Informação também são o CED ou do fascismo no CED

Desde 1978 a Biblioteconomia é parte do CED. Curso de Bacharelado em Biblioteconomia e Departamento de Biblioteconomia e Documentação foram transferidos do Centro Sócio Econômico para o CED, que era então constituido pelo Departamento de Metodologia de Ensino e pelo Ginásio de Aplicação a fim de que o CED não fosse integrado ao então CCH (Centro de Ciências Humanas) hoje CFH (Centro de Filosofia e Ciências Humanas).

Então, desde 1978 o CED é formado pelos Campos da Didática-Pedagogia e Biblioteconomia. O CED continua a se denominar de Centro de Ciências da Educação por uma contrafação em que os setores da Didática-Pedagogia, ao terem o maior número de votos no Conselho de Unidade impedem o CED de adotar o seu verdadeiro nome, isto é, um nome em que estejam expostos os dois campos de conhecimento que o compõem há 32 anos e hoje são Didática-Pedagogia e Ciência da Informação.

Esse virtual conflito se agravou com a transformação do Departamento de Biblioteconomia e Documentação em Departamento de Ciência da Informação e com a implantação em 2003 do Curso de Mestrado em Ciência da Informação no CED.

Neste ano de 2010, além de manter o Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, o Mestrado em Ciência da Informação, a Revista Encontros Bibli - de Biblioteconomia e Ciência da Informação, a área de Ciência da Informação implantou o Curso de Bacharelado em Arquivologia. Também neste ano o Mestrado em Ciência da Informação obteve conceito 4 na avaliação trienal da CAPES, credenciando-se à implantação do Curso de Doutorado em Ciência da Informação. Então, com esse perfil e esses setores a área de Ciência da Informação continuará a ser considerada invisível no CED? A quem interessa isso?

A dominação da maioria de votos da área de Didática-Pedagogia no Conselho Departamental do CED continuará a tratar a área de Ciência da Informação como invisível? Se assim for em que difere a postura da área de Didática-Pedagogia de uma ditadura ou pior de um imperialismo antidemocrático, antiliberal e fascista?

Eu gostaria muito de ser esclarecido sobre o que leva a área de Didática-Pedagogia do CED, quando se trata da mudança do nome do Centro, a tomar essa atitude? Há ali uma consciência de sua atitude fascista?

12 de mar de 2010

Os estudantes da Biblioteconomia reivindicam

Em outubro de 2008, o então candidato a Diretor, e hoje Diretor do CED, Prof. Wilson Schmidt recebeu, em mãos, dos estudantes de Biblioteconomia o documento abaixo transcrito, por ocasião de evento comemorativo aos 35 anos de implantação do Curso de Biblioteconomia na UFSC.
Essas reivindicações juntam-se à reivindicação de mudança do nome do Centro, visando a que inclua o termo INFORMAÇÃO no nome desta Unidade de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC.
A pergunta que não cala é: INFORMAÇÃO é um ramo das Ciências da Educação?
Por acreditarmos que não, QUEREMOS o termo INFORMAÇÃO no nome do CED.

CED - Centro de Ciências da Educação e da INFORMAÇÃO!




==============================
= DOCUMENTO =
==============================

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO
CURSO DE BIBLIOTECONOMIA


Relatório das reivindicações discentes do curso de Biblioteconomia da UFSC Documento organizado para o debate sobre as perspectivas da Biblioteconomia no CED, juntamente com os candidatos a direção do Centro, a ser realizado dia 10 de outubro de 2008, no auditório do CED, em função da comemoração dos 35 anos do Curso de
Biblioteconomia na UFSC.

FLORIANÓPOLIS, 2008


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ......... 3
2 UFSC ............... 4
3 CURSO DE BIBLIOTECONOMIA... 4
3.1 Aulas e disciplinas ..... 4
3.2 Professores ............. 5
3.3 Coordenação ............. 6
3.4 Estágios ................ 6
3.5 Outros .................. 6

4 CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO (CED) .. 7
4.1 Administração Geral ................. 7
4.2 Biblioteca .......................... 7
4.3 Infra-Estrutura ..................... 8
4.3.1 Salas de Aula ..................... 8
4.3.2 LABINFOR .......................... 8
4.3.3 Banheiros ......................... 8
4.3.4 Xerox ............................. 9
4.3.5 Acessibilidade .................... 9
4.3.6 Outros ............................ 9



1 INTRODUÇÃO

Este documento foi organizado com o intuito de comunicar tanto aos candidatos à direção do Centro de Ciências da Educação (CED) quanto aos representantes e responsáveis pela coordenadoria do Curso de Biblioteconomia da UFSC, sobre as reivindicações dos discentes do Curso de Biblioteconomia. Os dados que compõem esse documento foram coletados nas 1ª, 2ª, 3ª, 5ª, 6ª, 7ª e 9ª fases do curso de Biblioteconomia. A 4ª fase não indicou os problemas do Curso e do CED, porém, posicionaram-se da seguinte forma: ?Os alunos sugerem que os problemas sejam vistos, se é que ainda não foram pelos próprios candidatos e que estes mostrem empenho e disposição para as melhorias. Solicitamos a presença dos candidatos para a apresentação antecipada aos alunos". Alguns alunos da 3ª fase também optaram por não indicar os problemas do Curso e do Centro de Ciências da Educação, pois já indicaram outras vezes e nada foi feito para solucionar os problemas. Não foi possível consultar os alunos da 8ª fase por choque de horários com as outras atividades.

Para a produção deste relatório, foram realizadas atividades dinâmicas com as fases no período de 29 de setembro a 8 de outubro deste ano. Essas atividades foram ministradas por dois integrantes do Centro Acadêmico de Curso (CAB) nas 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 9ª fases, que se basearam na atividade proposta pelo Professor Francisco das Chagas de Souza, na disciplina CIN5020 Estudos de Usuários e de Comunidades e foi ministrada pelo Prof. Francisco nas 1ª, 6ª e 7ª fases. A atividade consistia na reunião de grupos e discussão de melhorias a serem implementadas no CED e no próprio Curso de Biblioteconomia. Este documento tem o propósito de embasar formalmente as necessidades e os anseios do corpo discente do Curso de Biblioteconomia e sua importância reside na comunicação de expectativas para futuras melhorias. Para uma melhor compreensão, o documento foi subdividido em tópicos principais, pois foram citados repetidas vezes nas diferentes fases onde a atividade foi ministrada (Veja Quadro I). Optamos por indicar também os problemas citados no âmbito da UFSC mesmo que este não seja exatamente o foco da discussão.


Quadro I: Tópicos abordados

UFSC: Segurança - Estacionamentoação - Fiscalização
CED: Administração Geral - Biblioteca - Infra-Estrutura
CURSO DE BIBLIOTECONOMIA: Professores/Coordenação - Estágios - Aulas e Disciplinas


2 UFSC

- Mais segurança e iluminação no campus à noite.
- Maior fiscalização nos Centros de Ensino (infra-estrutura).
- Melhorar a segurança nos prédios do CED e ao seu redor, bem como no
estacionamento. Se preciso, que se crie um estacionamento fechado, para
carros e motos.
- Fiscalização rígida em relação às pessoas que estacionam em lugares
proibidos, como as calçadas.

3 CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

1 Aulas e Disciplinas

- Oferecimento de mais que uma disciplina da primeira fase por semestre, para
que os alunos que reprovaram ou tenham interesse possam cursá-las.
- Atividades condizentes com o que já foi estudado, com os planos de ensino
revisados pela coordenadoria. Exemplo: a matéria Gestão da Informação e do
Conhecimento deveria vir depois de Teoria geral da Administração.
- Mais aulas práticas, conciliando assim a teoria com a prática.
- Revisão do plano de ensino para que matérias idênticas não sejam ensinadas
em disciplinas de diferentes nomenclaturas. A exemplo: Gestão da
Informação e do Conhecimento e Informação para Empresas.
- É necessário colocar no currículo do curso, desde a primeira fase, mais de
uma disciplina que ensine a língua inglesa.
- Maior variedade de disciplinas optativas, que não sejam obrigatórias. O
currículo também apresenta limitações na questão de horários incompatíveis
onde existe a dificuldade para os alunos de escolherem optativas de sua
preferência.
- Interação entre o Curso de Biblioteconomia e a Biblioteca
Universitária (BU),
de maneira que a BU possa ser usada como ?biblioteca escola? ou espaço de
laboratório para os estudantes deste curso.
- Laboratório para prática de restauração com materiais necessários, para que
a disciplina de restauração também possa ser ofertada.
- Melhor ensino para padronização de trabalhos. Normas da ABNT e
metodologia deveriam ser ensinadas desde o início do curso.
- Disciplinas ?muito pesadas? deveriam ser melhor conciliadas com TCC. Maior
interação entre os professores.
- Ofertar disciplinas de Educação, História Biblioteconômica, Oratória.
- Ofertar disciplina de acessibilidade informacional, disciplina de libras,
acessibilidade física, braile e deficiências em geral. Capacitação de
professores em relação à acessibilidade.
- Eliminar a quebra de pré-requisito.
- Mais professores para o departamento.
- Possibilidade de que cursos de 8 horas sejam validados como optativas.
- Eventuais mini-palestras de todos os professores do CIN para que exponham
sua área de atuação a todos os alunos.
- Ingresso gratuito de estudantes de Biblioteconomia nos cursos de línguas
estrangeiras que a UFSC promove todos os semestres.
- A duração do curso deveria ser prolongada, pois alguns conteúdos exigem
mais tempo de estudo. As disciplinas de Catalogação e Classificação
deveriam possuir mais horas/aula.
- Possibilidade de realizar 24 horas/aula por semestre.
- Espaços/parcerias com empresas institutos para dar aulas práticas. Arquivos
médicos, imagens, etc.
- Optativas ofertadas somente no período diurno também deveriam ser
ofertadas no período noturno.

2 Professores

- Forma mais crítica de avaliar os alunos.
- Professores substitutos precisam ser mais bem orientados. Em disciplinas
ministradas por professores de outros departamentos, que em geral são
professores substitutos, o conteúdo ensinado precisa ser adaptado às
necessidades das disciplinas do curso de Biblioteconomia.
- Os professores deveriam providenciar versão impressa e on-line dos textos
que usam nas salas de aula.
- Mais professores efetivos com formação em Biblioteconomia. Ainda que a
Ciência da Informação seja uma área interdisciplinar e exista a necessidade
de professores com diferentes formações nas atividades de ensino, o CIN é
peça importante no fortalecimento da classe bibliotecária catarinense e não
serão os profissionais de outras áreas que lutarão pelos direitos dos
bibliotecários.
- Queremos que os professores melhorem a qualidade das aulas que ministram
? suas didáticas, metodologias, etc.
- Maior número de professores efetivos no Departamento de Ciência da
Informação para o oferecimento de maior variedade de disciplinas no curso
de Biblioteconomia. Sabemos que os professores do CIN estão
sobrecarregados com atividades administrativas, além das de ensino,
pesquisa e extensão. Tal situação, cremos, influi diretamente na qualidade
das aulas ministradas.
- Maior integração entre os professores para que se desenvolva
interdisciplinaridade, além de evitar que alguns conteúdos sejam ensinados
repetidas vezes ao longo do curso.
- Os professores DEVEM falar e escrever corretamente a língua portuguesa no
momento das aulas.
- Que os professores de outros cursos que venham dar aula no curso de
biblioteconomia tenham, no mínimo, 5 anos de experiência de ensino.
- Diminuir a quantidade excessiva do uso de xerox;
- Maior entrosamento entre os professores para evitar a sobrecarga de
conteúdo com os alunos.
- O professor Angel precisa entregar as provas no início ou no meio das aulas
e não no final quando todos os alunos estão quase indo embora, já que logo
depois ele as recolhe.

3 Coordenação

- Disponibilizar alternativas de horários diurnos no curso.
- A coordenação deveria ser o centro informacional do curso.
- Mais congressos e palestras referentes ao curso, com acesso gratuito.
- Necessidade de secretários mais qualificados na secretaria do curso de
Biblioteconomia.
- Melhoria no horário de atendimento dos Departamentos e Coordenação, que
fica fechada pelo período da manhã.
- Melhor comunicação entre a Coordenação do Curso de Biblioteconomia e
seus alunos. O curso precisa de um site atualizado e dinâmico.

4 Estágios

- Liberação de 2 estágios.
- Estágio obrigatório na UFSC.
- Ampliação das vagas de estágio.
- Maior organização no auxílio aos alunos do departamento de estágio.
- A Coordenação de Estágios da Biblioteconomia deve divulgar melhor todas
as vagas de estágios que aparecerem, numa tentativa de evitar que os
estágios que remuneram melhor sejam oferecidos apenas a poucos
escolhidos pelos professores.

5 Outros

- Incentivo para as atividades esportivas.
- Maior quantidade de atividades culturais.
- Constante atualização de murais informativos.
- Ampliação do horário, coerente com curso noturno.
- Espaço físico único para a Empresa Júnior de Biblioteconomia.
- Maior presença do Centro Acadêmico de Biblioteconomia (CAB) no dia a dia
dos estudantes e maior apoio às ações do CAB e da Biblio-Júnior por parte
dos estudantes.
- Oferecimento de mini-cursos para aperfeiçoamento de práticas pouco
abordadas no curso.
- Maior ajuda de custo para as viagens de encontros regionais e nacionais de
Biblioteconomia, entre outros.

CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO - CED

1 Administração Geral

- A discussão que se deve levantar é sobre a forma como os projetos que
existem dentro do CED são administrados. Se em alguns projetos sobra
dinheiro é preciso saber para onde esse recurso vai, ou seja, uma maior transparência na
administração do Centro como um todo.
- Fiscalização contínua dos recursos a serem utilizados nas salas de ula.
-Funcionários disponíveis em horário integral.
- Refazer as instalações elétricas de todos os prédios do CED.
- Melhorar aorganização dos murais nos corredores do CED.
- Que seja proibido fumar dentro dos prédios do CED e que exista fiscalização para isso.
- É preciso haver preocupação da direção do CED em divulgar o curso de
Biblioteconomia na própria UFSC e fora dela, além de buscar alternativas
para valorizar o profissional bibliotecário, ator importante numa
sociedade que
valoriza tanto a informação, nos seus mais diferentes segmentos.

2 Biblioteca

- Criação de banheiros.
- Interação entre os professores e bibliotecários referente à aquisição do
acervo.
- Acesso aos trabalhos acadêmicos já realizados pelos estudantes de
Biblioteconomia.
- Poucos terminais de consulta, máquinas mais novas e melhores. Que filmes
em VHS sejam regravados em DVD.
- Biblioteca Setorial do CED e Central com acervo mais atualizado, completo e
com maior número de exemplares da mesma obra.
- É preciso rever o horário de funcionamento das bibliotecas da UFSC, uma vez
que elas fecham cedo demais para quem estuda no período noturno.
Deveriam ficar abertas até às 23h todos os dias da semana, no mínimo, e
abertas nos finais de semana.


3 Infra Estrutura

3.1 Salas de aula
- Mais limpeza nas salas de aula.
- Ventiladores em pleno funcionamento.
- Arrumar as portas das salas.
- Relógios de parede em cada sala.
- Retro-projetores e datas show novos.
- Salas apropriadas para o número de alunos.
- Melhorar a iluminação das salas de aula.
- Melhor climatização das salas e laboratórios, com ar-condicionado split.
- Cadeiras mais confortáveis, ergonômicas, estofadas; E cadeiras especiais
com mesas para pessoas canhotas.
- As cortinas de pano, pesadas, deveriam ser trocadas por persianas de fácil
manuseio.
- Rebocar as salas com buracos na parede. Melhorar a instalação elétrica dos
equipamentos.
- Colocação de quadro branco (com uso de pincel atômico) no lugar dos
quadros de giz nas salas de aula.
- Laboratórios específicos e bem equipados para as diferentes atividades
técnicas/práticas.
- Mais ambientes de trabalho para orientandos/pesquisadores.

3.2 LABINFOR

- Ampliação do espaço do LABINFOR.
- Maior quantidade de equipamentos melhores e em funcionamento no
LABINFOR. O ideal seria um computador por aluno.
- Horário de funcionamento do LABINFOR bem definido. Que o laboratório
realmente abra esses horários.


3.3 Banheiros

- Reforma nos banheiros masculino e feminino do segundo e terceiro andar do
prédio do CED.
- Troca das divisórias do banheiro masculino.
- Que produtos básicos de higiene como papel higiênico, papel toalha e
sabonete sejam encontrados em todos os banheiros dos prédios do CED
todos os dias.
- Mais Limpeza.


3.4 Xerox

- O Xerox deveria ser mais barato.
- Ampliação do horário de funcionamento do Xerox, para atender às
necessidades dos estudantes da noite.
- Espaço físico pequeno; pouco pessoal no atendimento; horário de
funcionamento (fechamento).
- O valor do aluguel cobrado à empresa que faz Xerox dentro do CED deverá
ser administrado por esta unidade de ensino, sendo que este montante
deveria então ser revertido em melhorias para o centro e aquisições de
documentos para a Biblioteca Setorial do CED.

3.5 Acessibilidade

- Elevadores e rampas de acesso aos andares das salas de aula e laboratórios,
para gestantes e demais cidadãos portadores de necessidades especiais.

3.6 Outros

- Nova pintura em todo o prédio do CED.
- Higienização dos bebedouros e/ou troca por outros melhores.
- Rede de Internet sem fio (wireless) nas dependências do CED.
- Caixa-eletrônico de diferentes bancos nas dependências do CED.
- Criação de espaço saudável de convivência entre os estudantes do CED.
- Laboratórios: LTI: há demanda para mais um laboratório do mesmo porte.
- Datas-limite para a permanência dos trabalhos que os alunos do curso de
Pedagogia fixam nas paredes dos corredores e salas de aulas do CED. É
preciso que eles entendam que dividem o espaço com alunos de outros
cursos.
- Uma sala maior para o Centro Acadêmico de Biblioteconomia (CAB). A sala
atual não comporta todos os integrantes do CAB ao mesmo tempo e é
insuficiente para o desenvolvimento de inúmeras atividades que seus
membros gostariam de pôr em prática.
- Reforma do prédio atual do CED e então, futuramente, no máximo 2 anos,
providenciar a construção de um novo prédio exclusivo para a
Biblioteconomia, que possua: salas de aulas, salas dos professores,
laboratórios, núcleo de pesquisa, pós-graduação e outros.
- É preciso fazer uma reforma na parte elétrica do prédio e retirar a fiação
exposta nas salas de aula, não apenas por uma questão estética, há também
o perigo de os alunos levarem choques.
- A livraria do CED [Livros & Livros] precisa ficar aberta até às
sete da noite
para que os alunos do período noturno tenham a oportunidade de fazer
compras lá.
- Reestruturação do auditório do CED: reforma do espaço, melhor iluminação e
troca de assentos.
- Mais opções de variedades de lanchonetes no CED.
- Avaliação da qualidade dos alimentos vendidos na lanchonete do CED.
- Melhoria na capacitação dos funcionários da lanchonete, que não possuem
higiene alguma.
- Melhor higiene na lanchonete, especialmente quando se trata da manipulação
dos alimentos.

4 de mar de 2010

FURG cria o Instituto de Ciências Humanas e da Informação

A Universidade Federal do Rio Grande realizou recentemente uma reforma organizacional. Como parte disso refundiu unidades e departamentos criando o
Instituto de Ciências Humanas e da Informação
http://www.ichi.furg.br/index.php?option=com_content&view=article&id=290&Itemid=57.

Isto revela mais um exemplo de como o campo científico e as profissões relacionadas à área da informação estão cada vez mais reconhecidas como estruturantes da sociedade atual.

Por que na UFSC e no CED não conseguimos discutir, à sério, a inclusão do termo informação no nome desta unidade?

Quem são, no CED, os nossos arautos do passado? Os guardadores das velhas estruturas?

13 de dez de 2009

Teremos o mesmo CED/UFSC em 2010?

Queremos ter o mesmo CED/UFSC em 2010?
- Uma unidade de ensino superior e pesquisa em que há segmentos que segregam outros?
- Com uma biblioteca setorial que não dispõe de acervo básico para atender aos programas de ensino aprovados para oferta em seus Cursos de Graduação, de Biblioteconomia e de Pedagogia?
- Onde não se constroem programações direcionadas para reunir os diferentes segmentos discentes e docentes do Centro? Que tal uma semana de integração Biblioteconomia e Pedagogia no início de cada semestre?
- etcetera.... etcetera.... etcetera.... etcetera....

O silêncio a perguntas como estas seguramente será um SIM à questão inicial!

Feliz e reflexivo Natal a todas e a todos!

4 de dez de 2009

O CED à luz de Norbert Elias

Nos anos da década dos cinquenta do século XX, Norbert Elias e John Scotson desenvolveram um notável estudo sociológico tendo como foco o funcionamento de duas pequenas comunidades que conviviam em espaços geográficos próximos, num distrito ficticiamente denominado como Winston Parva. Contudo, elas apresentavam divergências em aspectos em que tais desencontros pareciam injustificáveis dadas as suas semelhanças e pontos em comum quanto aos seus atributos sociais.

Sobre esse texto há inúmeras resenhas, mas destaco a de Edenio Valle [http://www.pucsp.br/rever/resenha/elisco01.htm], e recorto um parágrafo apenas para reforçar como vejo a disposição das áreas de Didática e Pedagogia deste Centro quanto à aceitação da área de Ciência da Informação nos últimos 30 anos, desde a chegada da Biblioteconomia no CED, no ano de 1979. Ou seja, os estabelecidos (Didática e Pedagogia) do CED ainda continuam a manter, na maior parte das suas ações e decisões, como outsiders a Biblioteconomia e Ciência da Informação. Isso dá trinta anos de segregação!

"As crenças, valores e pattern de comportamento vigentes em Winston Parva não se devem seguramente a diferenças de classe social, salário ou religião ou à maior ou menor fatia de poder que cada um dos dois segmentos daquela população possui, reivindica ou se atribui. O determinante parecem ser as representações sociais de poder que os dois agrupamentos se fazem um do outro e de si próprios. A violência e a arbitrariedade dessas representações é que racham ao meio – não sem artificialismos – o povoado."

ATENTEMOS PARA ISSO!

17 de out de 2009

Estudantes de Biblioteconomia querem o Centro de Ciências da Informação

Penso que agora com a implantação do curso de Arquivologia, nosso centro possa finalmente ter o nome que merece ou seja Centro de Informação e Educação ou quem sabe não esta na hora de almejarmos nosso próprio centro: Centro de Ciências da Informação. Estamos na luta. Jaime José dos Santos Presidente da Comissão de formatura do curso de Biblioteconomia turma 20072.

10 de set de 2009

Retomar as discussões

Para auxiliar na retomada das discussões sobre a mudança de nome do CED, que tal participarmos mais nos comentários e na enquete que se inicia agora?

21 de ago de 2009

A Direção do CED e seu pensamento sobre a mudança do nome do Centro deve ser dita sem subterfúgios

No ano de 2008, quando se desenrolava o processo eleitoral visando à Direção do CED, já estando definida a chapa única candidata, composta pelos Professores Wilson (do EED para Diretor) e Ademir (do MEN para vice-diretor), os estudantes do Curso de Biblioteconomia promoveram um encontro com o então candidato a Diretor, realizado no Auditório do CED, com ampla presença de alunos, liderado pelo CAB - Centro Acadêmico do Curso de Biblioteconomia.

Precedendo a esse encontro o Centro Acadêmico preparara um levantamento das necessidades dos estudantes do Curso, relativamente a infra-estrutura, condições acadêmicas, pessoal docente, funcionamento da secretaria, prédio para a Ciência da Informação, integrando o Departamento, o Curso de Biblioteconomia, o novo Curso de Arquivologia, os Laboratórios de Ensino de Ciência da Informação, o Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação, a segurança noturna, etc. gerando um documento que foi entregue na oportunidade ao Prof. Wilson, como um documento de justas reivindicações.

Durante o encontro foi solicitado ao Professor Wilson que examinasse aquele documento com atenção e na medida do possível fossem buscadas soluções. Já decorreram oito meses desde a posse dos Professores Wilson e Ademir e não se tem conhecimento de que ao menos houve uma manifestção a estes estudantes de Biblioteconomia, ao CAB, sobre o encaminhamento das reivindicações.

De outro lado, tem sido visível o desinteresse da Direção do CED acerca da reivindicação de mudança do nome do Centro. Ao contrário do que o Professor Wilson prometera na reunião referida, fica a suspeita de que o tratamento que a Direção atual dá à matéria não é diferente do tratamento dado pela Direção anterior, composta por docentes oriundos dos mesmos Departamentos MEN e EED. Permanece a noção de que quem deve predominar neste Centro são as idéias dos didatistas e pedagogistas? Em que Assembléia isso foi decidido? Com quais direitos humanos, morais e acadêmicos se pode sustentar essa situação? Alguém precisa falar sobre isso!

23 de jun de 2009

O CED mandou a Ciência da Informação cair fora do Centro! Que faremos?

Quando se fala em CED na UFSC fala-se em Centro de Educação, quando quem fala faz parte dos Departamentos MEN e EED, Colégio de Aplicação e NDI. Esses dois Departamentos, mais o CA e o NDI são responsáveis ou atuam no domínio dos campos da Didática e da Pedagogia.

Quando se fala em CED na UFSC e quem fala está na Ciência da Informação e Biblioteconomia, fala do Centro de Ciências da Educação. Um Centro plurisdisciplinar.

Sob este segundo enfoque, por vários anos, o Departamento de Ciência da Informação vem reivindicando que o nome do CED inclua o termo Informação, a fim de que se reconheça essa pluridisciplinaridade.

Evidentemente, não interessa ao CED da Didática e da Pedagogia essa proposta, porque o Centro do Universo do conhecimento para uma parte ainda relevante dos colegas que lá estão é a Didática e a Pedagogia. E a despeito de um discurso aparentemente democrático parece não lhes interessar o reconhecimento da pluridisciplinaridade no interior do CED.

Para a maioria desses colegas, certamente, o fato de no dia 19 de maio de 2009 ter ocorrido uma greve de ônibus em Florianópolis foi mais do que bom, pois evitou-se o enfrentamento do Plebiscito marcado para aquela data, a fim de ser decidida a mudança do nome do CED para Centro de Ciências da Educação e Informação.

Pelos adiamentos e protelações perpetrados pela direção anterior do CED, expediente que passou a ser adotado pela atual direção, parece cada vez mais evidente que a mensagem é a seguinte: SAIAM DO CED.

Entretanto, é preciso resgatar-se que a Biblioteconomia foi trazida para o CED a pedido do CED, por discurso realizado nos anos da década de 1970, pelo então Diretor Antonio Cesar Becker, no âmbito do Conselho Universitário da UFSC. O então Departamento de Biblioteconomia e Documentação e o Curso de Biblioteconomia estavam muito bem no Centro Sócio-Econômico. Sua vinda para o CED atendia somente a interesses de então do CED. Mas parece que nos últimos anos não lhes interessa mais a companhia da Biblioteconomia. Não seria o caso de pensarmos em reivindicar o nosso retorno para o Centro Sócio-Econômico? Afinal nas classificações de áreas de conhecimento do CNPq, FINEP... fazemos parte do Grupo de áreas inseridas como Ciências Sociais Aplicadas. Nisso, talvez, os Didatistas e Pedagogistas do CED teham razão, CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E BIBLIOTECONOMIA NÃO TÊM NADA A VER COM O CED.

Por que se deve trazer esta questão agora? É que o Conselho de Unidade do CED, em decisão tomada em 25/08/2005, levando em conta os termos que constroem o penúltimo parágrafo do parecer emitido pela Comissão criada pela Portaria de 15/07/2005, para examinar o pedido do CIN dizia:

“[...] mesmo reconhecendo como legítima a reivindicação de uma maior visibilidade da área de Ciência da Informação no âmbito das unidades que compõem a UFSC, para além do departamento CIN, não nos parece que a simples justaposição dos termos “educação” – “informação” possa alavancar uma desejável e necessária articulação academicamente orgânica intracentro, que no CED é muito débil atualmente. Outros caminhos poderão ser construídos”.

Em outros termos, o Conselho de Unidade do CED mandou-nos CAIR FORA!

É esse o fato!

28 de abr de 2009

O dia é 19 de maio!

Melhor do que levar o nome do CED para um Plebiscito teria sido a realização de mais debate, portanto, de mais discussão, envolvendo todos os membros da Comunidade do CED e, com isso, ter-se chegado a um consenso em torno da mudança. Isso demonstraria mais capacidade de convivência das diferenças que representamos e a percepção do que nos une nessas diferenças.

O encaminhamento para o Plebiscito acentua a falta de um diálogo mais próximo que seria o desejável para o sucesso cada vez mais expressivo de nossa caminhada ao longo das mais de três décadas em que convivemos no mesmo Centro.

Mas se este é o caminho que pudemos ter, vamos votar no nome do CED : CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E INFORMAÇÃO.

1 de nov de 2008

De onde vêm as Ciências da Educação!

Surgimento da Didática : Século XVII.

A inauguração de um campo de estudos com esse nome tem uma característica que vai ser reencontrada na vida histórica da Didática: surge de uma crise e constitui um marco revolucionário e doutrinário no campo da Educação. [...] seu primeiro objeto, o Método, correspondendo ao modo de agir sobre o educando, recuou ao fundo do palco quando sua outra face, o próprio educando ou aprendiz, reclamou seus direitos. Um reviver metodológico, no século XIX, pôs em relevo as características de ordem e seqüência, no processo didático, antes que a Escola Nova, retornando ao puerocentrismo, em sua aspiração científica, recorresse à psicologia da criança. O panorama do final do século XX não é simples. A Didática está impregnada de todas as inquietações da época e, entre as muitas frentes de pesquisa e exploração, ora requer auxílio da psicologia profunda de origem freudiana, ora recorre ás correntes neomarxistas. A oscilação entre uma tendência psicológica que acentua a relevância da compreensão da inteligência humana e sua construção e outra que se apóia na visão sociológica das relações escola-sociedade, parece dominar o conteúdo da disciplina. Esta, em conseqüência, vai-se familiarizar com teorias de origem epistemológica e social, sem perder, no entanto, seu compromisso com a prática do ensino. Nos programas de Didática, essa fermentação ideológica nem sempre consegue um resultado harmônico: os novos temas ainda não tiveram função aglutinadora e vêem-se programações enviesadas com exclusividade, de um lado ou de outro. [...] Um esclarecimento final, sobre o conceito foco da Didática: o Ensino. Revela uma intenção: a de produzir aprendizagem; é palavra-ação, palavra-ordem, palavra-prospectiva, palavra que revela um resultado desejado. [...] depois de PIAGET, não se pode mais entender o ensino como a simples apropriação de um conteúdo [...] O ato assimilador, essência da aprendizagem legítima, correspondente ao ensino que merece esse nome, terá como subproduto (sub ou super?) alguma mobilização da inteligência redundando em progresso cognitivo, em capacidade ampliada para conhecer (ou aprender). É desse fenômeno que trata a Didática: do ensino que implica desenvolvimento, melhoria. E mais: não se limita o bom ensino ao avanço cognitivo intelectual, mas envolverá igualmente progressos na afetividade, moralidade ou sociabilidade, por condições que são do desenvolvimento humano integral.

Em: Amélia Domingues de Castro (Doutora em Educação pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - FFLCH, da Universidade de São Paulo - USP; Professora da Faculdade de Educação da Universidade de Campinas – Unicamp) . A Trajetória Histórica da Didática. Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/pdf/ideias_11_p015-025_c.pdf

31 de out de 2008

Que é Ciência da Informação?

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
Nascida formalmente em 1962, em uma reunião do Georgia Institute of Technology, foi definida como “a ciência que investiga as propriedades e o comportamento da informação, as forças que governam o fluxo da informação e os meios de processamento da informação para acessibilidade e usabilidade ótimas. Os processos incluem a geração, disseminação, coleta, organização, armazenamento, recuperação, interpretação e uso da informação. A área é derivada de ou relacionada à matemática, lógica, lingüística, psicologia, tecnologia computacional, pesquisa operacional, artes gráficas, comunicações, biblioteconomia, administração e algumas outras áreas”.

Em: Gilda Maria Braga. Informação, ciência da informação:
breves reflexões em três tempos. Publicado em: Ciência da Informação – v. 24, número 1, 1995.

29 de out de 2008

Conselho "Pilatos" de Unidade do CED

Pôncio Pilatos, também conhecido simplesmente como Pilatos, foi Prefeito (praefectus) da província romana da Judéia entre os anos 26 e 36. Historicamente, ficou conhecido como o Juiz que, acordo com a Bíblia, se eximiu de decidir sobre algo tão importante quanto a vida de Jesus Cristo, ficando marcado como aquele que lava as mãos, como se cumprir com sua missão não fizesse parte de suas responsabilidades finais.
Em 04/04/2006, com caráter de recurso, contando com várias assinuturas de professores do CIN e de dezenas de estudantes de Biblioteconomia e Ciência da Informação da UFSC, foi entregue o processo que, só após dois anos é retomado no Conselho de Unidade. O que o Conselho faz em 26/06/2008? LAVA AS MÃOS! Faz isso, e joga a decisão para um Plebiscito, isto é, toda a Comunidade cediana fará papel de Herodes, nesse episódio?

28 de out de 2008

Por que a Comissão do Plebiscito sobre o nome do CED só tem representantes docentes?

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
Centro de Ciências da Educação
Secretaria Administrativa da Direção do CED
Campus Prof. João David Ferreira Lima – Trindade – CEP 88040-900 - Florianópolis /
Santa Catarina / Brasil Fone: (48) 3721-9336 - Fax (48) 3721-9752
___________________________________________________
PORTARIA Nº 50/CED/2008 Florianópolis, 20 de agosto de 2008.


O Diretor do Centro de Ciências da Educação da Universidade
Federal de Santa Catarina, no uso de suas atribuições, em conformidade
com a decisão do Conselho de Unidade em reunião realizada no dia
26/06/2008,

R E S O L V E,

Art. 1º - Designar os professores (as): Antonio César Becker
(EED), Dulce Márcia Cruz (MEN), Raimundo Nonato M. dos Santos (CIN),
Ivonete da Silva Souza (CA) e Regiane Parisi Freitas (NDI)
para, sob a
presidência do primeiro, constituírem Comissão para organizar o processo
do Plebiscito sobre a mudança do nome do Centro de Ciências da
Educação.

Art. 2º - A preposição das normas e datas do processo deverão ser
previamente aprovadas pelo Conselho de Unidade.

Art. 3º - Conceder 02(cinco) horas semanais aos membros da
respectiva Comissão.

Art. 4º - Essa portaria terá validade de 90 (noventa) dias, a partir
da presente data.

ORIGINAL FIRMADO POR
CARLOS ALBERTO MARQUES
DIRETOR DO CED